Reajuste do salário mínimo: qual é o valor de 2024?

Saiba tudo sobre a mudança do salário mínimo previsto para 2024 e suas principais implicações para as empresas e impactos na economia do país.

  • 11 mins leitura
  • 03 janeiro, 2024
  • 19 março, 24
  • Por Julia Silva

O reajuste do salário mínimo, elemento que norteia a vida de milhões brasileiros, é um indicador sensível da qualidade de vida e bem-estar da população, que reflete as condições sociais e econômicas do país.

A cada ano, esse valor sofre mudanças, que variam conforme os indicadores socioeconômicos e isso impacta diversos setores da sociedade.

Neste conteúdo, vamos nos aprofundar nas informações mais atuais sobre o reajuste do salário mínimo e responder às dúvidas mais comuns a respeito.

Boa leitura!

Qual o valor do salário mínimo atual?

O salário mínimo no Brasil está fixado em R$ 1.412, valor que passou a valer em 01 de janeiro de 2024 e torna-se válido na folha de pagamentos de fevereiro de 2024, conforme anunciado pelo governo.

Este valor é um pilar para a segurança financeira de milhões de trabalhadores, que dependem dessa quantia para suas despesas cotidianas.

Os termos da lei foram modificados desde sua criação, mas, em linhas gerais, o valor indica um piso mínimo que todos os trabalhadores devem receber pela jornada de trabalho.

As políticas que permeiam o salário mínimo muitas vezes seguem cronogramas específicos, moldando diretamente o orçamento e as expectativas dos trabalhadores e o planejamento financeiro e tributário dos empregadores.

Qual o valor do salário mínimo em 2024?

Está confirmado que o salário mínimo de 2024 é de R$ 1.412, que representa um aumento de mais de ou 7% em relação ao valor vigente em 2023.

Aumento do salário mínimo
Fonte: Freepik

O reajuste serve para preservar o poder de compra dos trabalhadores, equilibrando as necessidades sociais com as demandas econômicas do país.

A discussão sobre as perspectivas para 2024 envolveram não apenas a determinação do valor monetário, mas também considera as variáveis macroeconômicas que moldam essas decisões.

Vale ressaltar que, em 28/08/2023, o então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou o Projeto de Lei de Conversão (PLV) 15/2023, que retomou a política de valorização do salário mínimo.

Assim, a partir de 1º de janeiro de 2024, os reajustes anuais do salário mínimo levaram em conta a inflação dos 12 meses anteriores, somado a taxa de crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo ano anterior ao ano vigente.

O Ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, lembrou que o salário mínimo é referência para mais de 25 milhões de brasileiros:

“Essa política de valorização, com a retomada do valor do salário mínimo para este ano […], é um farol para a economia. Nós temos quase 38 milhões de aposentados e pensionistas no país. Desses, 25,4 milhões estão no piso, no salário mínimo, e são impactados diretamente nessa política permanente de valorização”, afirmou.

Quem tem direito ao reajuste do salário mínimo?

O montante do salário mínimo abrange todos os trabalhadores, tanto no setor público quanto privado, em todas as regiões do Brasil. Para aqueles que desempenham uma carga horária menor, o valor é proporcional às horas trabalhadas.

Alguns exemplos de pessoas impactadas pelas definições e reajustes do salário mínimo são:

  • Aposentados;
  • Beneficiários de programas como BPC;
  • Servidores públicos;
  • Colaboradores de empresas privadas; etc.

É importante notar que os estados têm a prerrogativa de estabelecer salários mínimos locais e pisos salariais específicos por categoria, os quais podem ser superiores ao valor determinado pelo governo federal, ou seja, não podem ser inferiores ao piso nacional.

Isso confere uma flexibilidade para adequar os salários às realidades econômicas e custos de vida específicos de cada região, assegurando, no entanto, que não haja desvalorização em relação ao salário mínimo nacional.

Qual o histórico de reajustes?

Desde 1963, há um extenso histórico de variações que refletem ajustes econômicos, mas também mudanças nas políticas governamentais e sociais.

O gráfico a seguir, disponibilizado no site do G1, mostra como o salário mínimo evoluiu ao longo dos anos, entre 2005 e 2024:

Gráfico da evolução do salário mínimo entre 2005 e 2024.

Ao longo das décadas, observamos mudanças muitas vezes atreladas às condições econômicas do país. Durante os anos 80 e 90, por exemplo, o Brasil enfrentou períodos de hiperinflação, o que impactou diretamente o poder de compra do salário mínimo.

A partir do governo de Fernando Henrique Cardoso, em 1995, foi implementada uma política de reajuste real, visando garantir ganhos reais para os trabalhadores.

Já nos anos 2000, observou-se uma valorização expressiva do salário mínimo, com aumentos acima da inflação, chegando a 20% de aumento em 2003 (R$240,00).

A política de valorização do salário mínimo, sancionada em 2007, que voltou a ser implementada este ano, estabeleceu diretrizes para reajustes que consideram a inflação do ano anterior e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), buscando assegurar a manutenção do poder de compra.

Quais os impactos do reajuste do salário mínimo para as empresas e para o RH?

O reajuste do salário mínimo pode ter vários impactos para as empresas e o setor de RH. Aqui estão alguns dos principais efeitos:

  1. Custos trabalhistas aumentados: empresas que empregam trabalhadores e tem como base o salário mínimo percebem um crescimento direto nos custos trabalhistas. Isso pode impactar a rentabilidade das empresas, especialmente aquelas com margens de lucro mais apertadas;
  2. Pressão sobre a folha de pagamento: o reajuste do salário mínimo pode criar pressão adicional sobre a folha de pagamento. Isso, por sua vez, pode exigir que as empresas reavaliem seus orçamentos e reduzam custos em outras áreas para compensar o aumento dos custos trabalhistas;
  3. Riscos de sustentabilidade financeira: se o aumento do salário mínimo não for acompanhado por aumentos na produtividade ou eficiência, podem surgir pressões no orçamento, já que os custos adicionais das empresas nem sempre podem ser repassados, rapidamente, aos consumidores;
  4. Impacto nas pequenas empresas: pequenas empresas, em particular, podem ser mais afetadas pelo aumento do salário mínimo, já que podem ter menos flexibilidade financeira para lidar com mudanças;
  5. Conformidade regulatória: tão importante quanto os itens anteriores é o fato de que as empresas também precisam garantir que estejam em conformidade com todas as leis e regulamentos, o que pode demandar atualizações nos sistemas internos e políticas de RH para garantir que tudo será feito da maneira correta.

Qual é a diferença entre o salário nacional e regional?

Desde 2000, os estados podem estabelecer salários mínimos regionais, uma realidade em alguns estados brasileiros, onde as condições econômicas podem variar.

Esses valores estaduais podem se sobrepor ao piso nacional, caso o estado decida adotar uma política salarial própria e têm a prerrogativa de estabelecer um salário mínimo próprio, superior ao mínimo nacional.

Atualmente, isso acontece em cinco estados brasileiros:

  • São Paulo;
  • Rio de Janeiro;
  • Paraná;
  • Rio Grande do Sul; e
  • Santa Catarina.

O governo gederal estabelece o salário mínimo nacional e serve como um valor de referência para todo o país. Sua definição considera as condições econômicas gerais e as diretrizes de políticas públicas.

Esse valor é aplicável a trabalhadores de todos os estados brasileiros, independentemente das características econômicas específicas de cada região.

José Ronaldo Souza Junior, professor de economia, afirma que a discrepância salarial entre os estados pretende compensar os custos de vida e produção, que podem variar em relação à média nacional.

Quando começa a valer o reajuste do salário mínimo de 2024?

O salário mínimo definido para 2024 entra em vigor em 01 de janeiro de 2024. Entretanto, ele é aplicado ao cálculo da folha de pagamento de fevereiro, que é referente aos serviços prestados em janeiro.

Tire suas dúvidas sobre o salário mínimo

Confira as principais perguntas e respostas abaixo:

1. É possível viver com um salário mínimo no Brasil?

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), mostrou que o salário mínimo necessário para se viver em novembro de 2023 deveria ser de RS 6.294,71, uma diferença de quase cinco mil reais em relação ao valor atual, que é de R$ 1.412.

Essa realidade é ainda mais complexa quando consideramos famílias que possuem filhos e que precisam considerar todos os gastos familiares dentro desse valor.

2. Como as mudanças no salário mínimo impactam os benefícios sociais?

O reajuste do piso salarial tem efeitos diretos nos benefícios sociais, como aposentadorias, pensões, abono PIS/PASEP, seguro-desemprego, CadÚnico e outros.

Geralmente, atrela-se os benefícios a esse valor mínimo, o que garante que acompanhem seu crescimento e contribui para a manutenção do poder aquisitivo dos beneficiários.

Além disso, afeta também os MEIs, já que, por mês, eles recolhem 5% sobre o valor do salário mínimo para o INSS e, por isso, têm direito a aposentadoria, auxílio-doença, auxílio-maternidade, pensão por morte para os dependentes e auxílio-reclusão.

3. Há alguma relação entre o salário mínimo e a faixa do Imposto de Renda?

Sim, o salário mínimo influencia a faixa de isenção do IRPF. De acordo com a tabela atual, estão isentos do pagamento do IR aqueles que recebem até R$ 2.640. Isso significa que quem recebe dois salários mínimos, que atualmente representa o valor de R$ 2.824, precisará pagar o imposto neste ano.

Essa afirmação é válida considerando a tabela de IR atual, que ainda pode sofrer alterações. É importante atentar-se às notícias para ficar por dentro das discussões sobre o tema!

Conclusão

As discussões sobre o reajuste do salário mínimo permitem compreender a importância desse valor para milhões de brasileiros, além de suas implicações na economia do país. Através da política de valorização, as previsões para 2024 são favoráveis, mas ainda assim, o valor do salário é baixo para a realidade econômica do país.

Reforçamos a relevância do tema, já que a instabilidade financeira afeta grande parte da população e tem repercussões significativas em diferentes setores da sociedade, inclusive na saúde mental dos colaboradores.

Para continuar se aprofundando nesse tema e em outros assuntos que impactam a rotina do RH, convidamos você a visitar nosso blog!

Continue aprendendo com os conteúdos:

Perguntas frequentes

Veja as principais respostas para as questões sobre o salário mínimo:

Quanto é o salário mínimo de hoje?

O valor do salário mínimo atual é de R$ 1.412,00.

Quando começa valer o novo salário mínimo 2024?

O novo salário mínimo começa a valer em 1º de janeiro de 2024, sendo pago na folha de pagamento de fevereiro.

eConsig - Descomplique a oferta de consignado da sua empresa