People Analytics: veja o guia completo para implementar

Conheça tudo sobre People Analytics e como ele pode integrar suas estratégias de gestão de RH com exemplos reais!

  • 14 mins leitura
  • 26 março, 2024
  • 09 abril, 24
  • Por Julia Silva

Pense nas atividades diárias da gestão de RH da sua empresa. Você acredita que elas poderiam ser mais ágeis, objetivas e ter melhor desempenho? Isso é possível com People Analytics!

Também conhecido como análise de pessoas, nos últimos anos, ganhou destaque em organizações de todo o mundo justamente por ser uma ferramenta importante de otimização e gerenciamento de RH.

Preparamos um guia completo sobre essa solução, para que os profissionais e gestores possam conhecer os fundamentos e aplicações práticas dessa grande ferramenta.

Vá direto ao tópico que mais te interessa:

Boa leitura!

O que é People Analytics?

O termo People Analytics, ou análise de pessoas, refere-se à aplicação de métodos analíticos e técnicas de processamento de dados para entender e otimizar a gestão de recursos humanos dentro das organizações. 

Em outras palavras, ele utiliza dados quantitativos e qualitativos relacionados aos colaboradores de uma empresa para extrair informações que podem direcionar as decisões estratégicas da área de RH.

Então, seu principal objetivo é alcançar uma visão mais completa do capital humano de uma organização e, com isso, permitir uma gestão mais estratégica, baseada em dados. 

No vídeo publicado pela RH Academy, o conceito é explicado em detalhes e você vai perceber que vai muito além da criação de dashboards, painéis e apresentações. Veja só:

People Analytics e a cultura data-driven nas organizações

Por isso, uma das maiores transformações que o People Analytics promove é a criação de uma cultura data-driven dentro da gestão de pessoas. Ou seja, as decisões relacionadas aos colaboradores são baseadas em evidências comprovadas.

Na prática, isso significa que, ao invés de depender inteiramente de intuições, achismos ou experiências individuais, as organizações que adotam essa ferramenta valorizam a objetividade dos dados na formulação de políticas, processos e programas de RH.

Para se ter ideia, uma pesquisa da Visier mostrou que empresas com uma avançada análise de pessoas superam outras emergentes em até 56% na margem de lucro e obtêm um retorno de ativos 22% maior.

E, segundo pesquisa da Grand View Research, apesar de já estar mais disseminado em outros países como Estados Unidos e Alemanha, no Brasil, 85% dos líderes colocam o People Analytics — que também pode ser chamado de HR Analytics — como prioridade para suas ações, com esse mercado crescendo a uma taxa de 12,6% ao ano.

Dados da pesquisa sobre o mercado de People Analytics (Grand View Research).
Fonte: HR Analytics – Grand View Research.

Isso significa que cada vez mais empresas estão se preocupando em agregar a análise de dados ao contexto da gestão de pessoas.

Principais benefícios da análise de dados em gestão de pessoas

A aplicação do People Analytics oferece benefícios que vão desde melhorias na tomada de decisão até a otimização do desempenho dos colaboradores

Separamos os mais significativos:

  1. Melhoria da tomada de decisão: ele capacita os líderes de RH a decidir de forma mais confiante, com base na análise de dados. Isso reduz a probabilidade de erros de julgamento e aumenta a qualidade das práticas de RH;
  2. Otimização da gestão de talentos: ao compreender melhor as competências, habilidades e preferências dos colaboradores, a empresa identifica e desenvolve melhor seus talentos. Com isso, é possível promover funcionários, bem como criar programas de aprendizado personalizados;
  3. Aumento da retenção de colaboradores: a análise de dados pode ajudar a organização a identificar os fatores que contribuem para o turnover (como falta de engajamento) e criar estratégias para aumentar a retenção (como a oferta de crédito consignado e outros benefícios corporativos).

Leia mais: Crédito consignado: como o benefício ajuda o colaborador?

Como o People Analytics funciona?

De fato, o People Analytics é um processo completo, que envolve a coleta, análise e interpretação de dados relativos aos funcionários da empresa. 

Veja agora um resumo de como ele funciona:

  • Coleta de dados: podem ser provenientes de várias fontes, como sistemas de gestão de recursos humanos (HRIS), registros de desempenho, feedbacks de avaliação, pesquisas de clima organizacional, entre outros. É importante garantir sua precisão, relevância e consistência;
  • Análise de dados: para identificar padrões e relações de causa e efeito. Para isso, são utilizadas técnicas estatísticas, algoritmos de machine learning e ferramentas de análise. Durante essa fase, os analistas utilizam vários métodos para visualizar os dados, como, por exemplo, gráficos, tabelas e modelos preditivos;
  • Interpretação de dados: por fim, são identificados padrões comportamentais, tendências e o impacto das decisões de RH na organização. Os resultados são comunicados para os gestores, a fim de criar estratégias e políticas de gestão de pessoas.

O que faz a área de People Analytics?

A área destinada ao People Analytics é responsável pela condução da análise de dados relacionados aos funcionários de uma empresa. Ou seja, essa sub-área do RH se dedica a extrair as informações ao máximo, para que possam indicar o caminho das próximas ações.

Nesse contexto, as principais metas a serem atingidas são:

  • Identificar padrões de comportamento dos colaboradores;
  • Prever necessidades de recrutamento e seleção;
  • Avaliar o impacto de programas de treinamento e desenvolvimento, entre outras.

Elas são alinhadas aos objetivos estratégicos da empresa e também fazem parte do plano de ação para o crescimento a longo prazo.

Já as atividades comuns da área incluem:

  • Coleta e análise de dados;
  • Elaboração de relatórios e dashboards;
  • Realização de estudos de caso e benchmarking;
  • Colaboração com outras áreas da empresa para implementar soluções conforme os dados obtidos. 

Além disso, os profissionais de People Analytics estão sempre buscando novas formas de utilizar as informações para estimular a inovação dentro da organização.

Qual a melhor ferramenta de People Analytics para o RH?

Sabemos que a escolha de uma boa ferramenta pode fazer a diferença na execução das tarefas. Com o People Analytics não é diferente! Desde soluções integradas em sistemas de gestão de RH até plataformas de análise avançada de dados, existe uma variedade de opções disponíveis no mercado.

Cada uma possui características e funcionalidades, que devem ser avaliadas com cuidado.Por isso, é importante considerar alguns critérios ao selecionar a ferramenta mais adequada às necessidades da sua empresa, tais como:

  • Funcionalidades: avalie as capacidades da ferramenta em relação à coleta, análise e visualização de dados, bem como suas capacidades de geração de relatórios e outras informações relevantes para você;
  • Integrações e suporte: verifique a compatibilidade dela com os sistemas e aplicativos já existentes na empresa, assim como a qualidade do suporte técnico oferecido pelo fornecedor e a facilidade de comunicação em casos emergenciais;
  • Facilidade de uso: a usabilidade da ferramenta é um fator importantíssimo para garantir sua completa adoção e utilização por parte dos usuários.

Como complemento aos critérios, é útil seguir algumas dicas, como:

  • Realize uma avaliação das reais necessidades e objetivos da empresa em relação à análise de dados em RH;
  • Consulte avaliações e recomendações de usuários e especialistas do setor previamente;
  • Faça testes e demonstrações das ferramentas consideradas para avaliar sua adequação às rotinas da empresa.

Além dos critérios mencionados, é importante considerar aspectos como requisitos de segurança da informação, escalabilidade da solução e possibilidade de personalização conforme as necessidades da empresa.

Quanto custa uma ferramenta de People Analytics?

Quando falamos em orçamento e custos, precisamos considerar que a implementação e manutenção de uma boa ferramenta pode variar de acordo com alguns fatores, como, por exemplo, o tipo de fornecedor, a escala da implementação e as funcionalidades oferecidas pela solução.

Leve seu RH a outro nível -  Conheça o eConsig

Os modelos de precificação comuns para ferramentas de People Analytics incluem:

  • Licenciamento por usuário: ou seja, o custo da ferramenta é baseado no número de usuários que terão acesso à plataforma;
  • Assinatura mensal ou anual: muitas ferramentas são oferecidas sob um modelo de assinatura, onde as empresas pagam uma taxa recorrente pela utilização da solução;
  • Custos adicionais: além das taxas de licenciamento ou assinatura, é importante considerar extras, como treinamento, implementação, suporte técnico, funcionalidades avançadas e atualizações de software.

Além do tipo de precificação, outros fatores que podem influenciar no preço incluem: a complexidade da implementação, o número de usuários, a quantidade de dados para processar e o nível de suporte requisitado.

O que faz um analista de People Analytics?

O analista de People Analytics é o profissional que obtém, analisa e processa as informações a partir dos dados referentes aos colaboradores da empresa. 

Ou seja, ele possui as habilidades analíticas e o conhecimento técnico necessários para transformar os dados brutos em recomendações de ações que vão orientar as decisões da área de RH.

Competências do analista de People Analytics

Veja as principais competências desse profissional:

  • Habilidades em análise estatística e quantitativa, bem como experiência em ferramentas e técnicas de análise de dados, como estatística descritiva, modelagem preditiva e mineração de dados;
  • Conhecimento em tecnologia e ferramentas analíticas, como Excel, Python, R, SQL, entre outras, além de compreender os sistemas de gestão de dados e software de Business Intelligence (BI);
  • Entendimento do contexto de negócios e das metas estratégicas da organização, para poder alinhar as percepções derivadas dos dados e os objetivos da empresa;
  • Experiências e noções sobre gestão de pessoas e RH, para ser capaz de analisar os dados com base nos desafios e oportunidades do setor, bem como fazer recomendações aplicáveis, que seguem as boas práticas da área;
  • Boa capacidade de comunicação e interpretação, capaz de traduzir informações técnicas em termos compreensíveis para stakeholders não técnicos.

Funções do analista de People Analytics

Agora, conheça as principais funções desse profissional:

  • Realiza toda a análise: é responsável por coletar, limpar e analisar grandes volumes de dados de funcionários, incluindo informações de recrutamento, desempenho, engajamento, entre outros;
  • Desenvolve os modelos preditivos: utilizando técnicas estatísticas e algoritmos de machine learning, cria modelos para prever tendências de recrutamento, identificar riscos de rotatividade e avaliar o impacto de ações de RH no futuro;
  • Elabora relatórios e dashboards: que sejam visualmente atraentes e informativos, para ajudar os gestores e líderes a entender e interpretar os dados sem precisar de auxílio externo;
  • Recomenda as melhores ações: com base nas informações obtidas, o analista recomenda estratégias para melhorar as operações da empresa, aumentar o engajamento dos funcionários e elevar o desempenho organizacional.

Por fim, as empresas buscam profissionais que possam, além de analisar dados, também transformá-los em ações que vão contribuir ativamente para a organização.

Na prática: Big Data e Business Intelligence no setor de RH

Ao longo dos últimos anos, a integração de tecnologias como o Big Data e Business Intelligence (BI) no setor de RH vem mudando a forma como as empresas são capazes de gerenciar o seu capital humano. 

E não é para menos! Com o Big Data, é possível coletar, armazenar e analisar uma boa quantidade de dados em pouco tempo. Então, quando os dados passam a influenciar a tomada de decisão, entra em cena o BI para pensar estratégias e melhorar os processos.

Nesse contexto, o People Analytics representa a aplicação dessas ideias na seleção, recrutamento e desenvolvimento dos colaboradores.

Pensando nisso, abaixo, destacamos dois exemplos de como as empresas estão utilizando essas tecnologias para otimizar suas ações:

Google

O Google já é conhecido por suas práticas inovadoras de gestão de pessoas e o uso de Big Data e BI não é exceção. 

A empresa buscou conhecer melhor as necessidades de seus gerentes e para isso, criou o Project Oxygen. Seu principal objetivo era entender se eles e suas competências eram realmente necessários para a organização.

Curioso, não é mesmo?

Além disso, procuravam descobrir quais os motivos da taxa de rotatividade e se estavam ligados à satisfação com os gerentes.

Então, durante 5 anos, uma equipe de estatísticos tentou provar que a qualidade de um gerente não afeta um time. Após uma grande análise com base em dados históricos de desempenho, eles provaram que uma boa gestão realmente faz a diferença e ainda conseguiram entender os padrões de comportamento de um bom líder. 

Nielsen

Ao enfrentar altas taxas de rotatividade, a Nielsen investigou as razões por trás das saídas dos funcionários e descobriu que o primeiro ano era muito importante para reter talentos, fortalecendo seu employer branding

Inicialmente, analisou-se 20 variáveis, mas esse número cresceu para mais de 150 ao longo do tempo, obtendo bons resultados: uma redução de 50% na rotatividade e um aumento de 80% nas movimentações laterais.

A empresa implementou programas como “Golden Year” e “Ready to Rotate” para acompanhar e capacitar novos funcionários, respectivamente. 

Com o apoio da equipe de People Analytics, ela então descobriu que movimentações laterais aumentam em 48% a probabilidade de um funcionário permanecer na empresa. 

Conclusão

Como vimos, o People Analytics é uma abordagem fundamental para o RH estratégico, pois permite uma abordagem mais direcionada ao basear suas ações em dados na gestão de pessoas. 

Ao adotar uma abordagem baseada em dados, a empresa pode otimizar o recrutamento, retenção e desenvolvimento de talentos, estimulando a inovação e o crescimento.

Por isso, é importante que as empresas reconheçam a importância do People Analytics como uma parte integrante e indispensável das estratégias de longo prazo da organização. 

Não pare por aqui! Continue aprendendo sobre as últimas tendências e práticas em RH, faça o download do nosso e-book que fala tudo sobre o RH 5.0.

Veja outros conteúdos relacionados:

Perguntas frequentes

Veja, a seguir, as respostas para as dúvidas mais comuns sobre People Analytics:

People Analytics: o que é?

É a aplicação de métodos analíticos e técnicas de processamento de dados para entender e otimizar a gestão de recursos humanos dentro das organizações. 

O que faz um analista de People Analytics?

O analista de People Analytics é o profissional que obtém, analisa e processa as informações a partir dos dados referentes aos colaboradores da empresa.