Margem consignável e redução do turnover: qual a relação?

Entenda a relação entre a margem consignável e a redução do faturamento, e como usá-lo para gerar mais engajamento e retenção dos colaboradores.

  • 11 mins leitura
  • 22 dezembro, 2023
  • 27 março, 24
  • Por Julia Silva

Nos últimos anos, a gestão da margem consignável tornou-se um tema significativo para empresas privadas e públicas.

Nesse contexto, é importante entender a relação entre a margem consignável e a redução do turnover, pois sua aplicação estratégica pode impactar diretamente no engajamento e retenção dos colaboradores.

Por isso, conheça agora o que é a margem consignável e qual a sua relação com o turnover nas empresas.

O que é a margem consignável?

A margem consignável é um indicador financeiro que delimita a quantia máxima que um indivíduo pode comprometer de sua remuneração mensal com empréstimos consignados. 

Em outras palavras, ela é um meio de assegurar a saúde financeira dos colaboradores, evitando que assumam dívidas que excedam sua capacidade de pagamento.

A base legal para a margem consignável é a Lei nº 10.820/2003, que estabelece as regras para sua aplicação, tanto no setor público quanto no privado.

No entanto, é importante dizer que as normas podem variar entre esses dois grupos:

  • Para servidores públicos: nesse caso, os servidores têm a possibilidade de comprometer uma parte maior de sua renda com empréstimos consignados, desde que estejam dentro dos limites estabelecidos pela lei;
  • Para colaboradores de empresas privadas: a margem é restrita a um percentual menor de seus salários, sem que os trabalhadores assumam dívidas excessivas que comprometam sua estabilidade financeira e, consequentemente, sua produtividade no trabalho.

Essa diferença nas regras tem implicações diretas na gestão do crédito consignado como benefício corporativo e no impacto sobre o turnover nas empresas privadas.

O que é ter margem consignável?

Quando um colaborador diz que ainda tem margem consignável, significa que ele ainda pode contratar um empréstimo consignado.

O cálculo da margem consignável é baseado na renda líquida, ou seja, no valor recebido após a dedução dos descontos em folha de pagamento como INSS, Imposto de Renda e FGTS. Para calcular a margem consignável, você pode utilizar a fórmula:

Margem consignável = (renda líquida) x (limite da margem)

Lembre-se, entretanto, de que a margem consignável é uma restrição máxima, e não é obrigatório utilizar a totalidade desse limite.

Ao acessar a plataforma do eConsig, por exemplo, o setor de RH e o colaborador têm acesso à margem consignável e consegue fazer simulações e acompanhar todos os processos em tempo real!

Qual o limite da margem consignável?

Atualmente, os limites da margem consignável são de 40% para beneficiários do Auxílio Brasil, empregados celetistas, servidores públicos ativos e inativos, pensionistas, militares e empregados públicos; e de 45% para aposentados do INSS, beneficiários do BPC ou Renda Mensal Vitalícia.

O impacto da margem consignável no acesso ao crédito consignado

A margem consignável viabiliza e, ao mesmo tempo, garante maior controle sobre o acesso ao crédito consignado.

Isso influencia diretamente o bem-estar financeiro dos trabalhadores e o funcionamento das empresas que optam por oferecer esse benefício corporativo.

Para os colaboradores

A margem é um fator determinante na obtenção de consignados e, por isso, atua como um mecanismo de proteção financeira, reduzindo o risco de endividamento.

Ou seja, se a margem de crédito for administrada adequadamente, os funcionários têm a chance de obter empréstimos com taxas de juros mais baixas em comparação com outras modalidades de financiamento.

Além disso, podem obter o benefício adicional de não criar o efeito “bola de neve” com o acúmulo de muitas dívidas. 

Para as empresas

Ao disponibilizar essa opção aos colaboradores, as organizações demonstram preocupação com a saúde financeira de sua equipe. Isso gera maior satisfação no trabalho e, consequentemente, a redução do turnover.

Dessa forma, as organizações podem ajudá-los a lidar com problemas financeiros inesperados, tais como despesas médicas inesperadas ou emergências familiares, mantendo a estabilidade emocional da equipe e reduzindo o estresse financeiro que pode ter um impacto negativo no desempenho.

Colaboradores financeiramente saudáveis tendem a permanecer em seus empregos por mais tempo, o que é vantajoso para as empresas, pois a rotatividade de pessoal gera custos e impacta negativamente a continuidade operacional.

É por isso que cada vez mais organizações estão considerando a implementação do crédito consignado como um benefício corporativo estratégico e complementar às estratégias para redução do turnover.

Por que oferecer o crédito consignado como benefício corporativo?

Conheça agora quatro razões que explicam por que as organizações estão optando por disponibilizar o crédito consignado como uma vantagem para seus colaboradores:

  1. Melhoria da saúde financeira dos colaboradores: ao flexibilizar taxas de juros e prazos de pagamento, os colaboradores têm mais tranquilidade para lidar com despesas imprevistas, evitando o endividamento e a dependência de empréstimos com taxas mais altas;
  2. Aumento do engajamento e retenção dos colaboradores: a oferta do consignado como benefício demonstra que a empresa está comprometida em criar um ambiente de trabalho que vai além do simples pagamento de salários. Ao se sentirem valorizados, tendem a permanecer na empresa por mais tempo, reduzindo os custos do turnover;
  3. Maior competitividade no mercado de recrutamento: ao escolher uma empresa, os candidatos consideram não apenas o salário, mas também os benefícios oferecidos por ela. O crédito pode atrair profissionais que valorizam a estabilidade financeira e a possibilidade de acessar crédito de forma simplificada;
  4. Redução do absenteísmo e aumento da produtividade: quando têm acesso ao crédito consignado, os colaboradores lidam melhor com emergências financeiras, evitando faltas no trabalho devido a problemas pessoais. Além disso, funcionários que estão menos preocupados com dívidas e contas em atraso tendem a ser mais produtivos e focados em suas tarefas.

Como a margem consignável e o crédito consignável podem ajudar a reduzir o turnover?

Agora que você compreende o conceito, vamos entender como esses elementos estão interligados e qual sua contribuição para a redução do turnover nas organizações.

  1. Redução do estresse financeiro dos colaboradores;
  2. Melhoria da qualidade de vida financeira;
  3. Redução da necessidade de troca de emprego;
  4. Aumento do comprometimento organizacional.

1. Redução do estresse financeiro dos colaboradores

A margem consignável estabelece um limite para os descontos em folha, o que permite que os colaboradores utilizem o crédito consignado de forma responsável. 

Ou seja, quando eles têm acesso ao crédito consignado, podem lidar melhor com situações financeiras imprevistas, reduzindo o estresse e a ansiedade associados a essas questões.

Com menor estresse, há maior tendência de felicidade no trabalho e menos propensão a considerar a saída da empresa, reduzindo o turnover.

2. Melhoria da qualidade de vida financeira

Ao evitar empréstimos com taxas abusivas, os colaboradores conseguem manter um equilíbrio financeiro saudável.

E, por isso, vale lembrar: uma melhor qualidade de vida financeira está diretamente relacionada à satisfação e engajamento. 

Por isso, há maior tendência de envolvimento e comprometimento com suas tarefas no trabalho, o que, por sua vez, contribui para a redução do turnover.

3. Redução da necessidade de troca de emprego

Colaboradores endividados, muitas vezes, procuram empregos que pagam mais para lidar com suas obrigações financeiras, ou buscam fontes de renda adicionais, que acabam gerando estresse e exaustão

No entanto, quando têm acesso ao crédito consignado, eles podem enfrentar desafios financeiros sem a necessidade de trocar de emprego ou se desgastar tanto.

Nesse ponto, há um benefício para as empresas, pois a rotatividade de pessoal gera um custo, tanto em termos de recrutamento quanto de treinamento. 

Ao ajudar os colaboradores a resolverem seus problemas financeiros internamente, as empresas podem reter talentos por mais tempo, reduzindo o turnover.

4. Aumento do comprometimento organizacional

Quando as empresas oferecem o crédito consignado como benefício, elas demonstram uma preocupação com o bem-estar financeiro de seus colaboradores. 

Dessa forma, esse gesto fortalece o comprometimento organizacional, fazendo com que os funcionários se sintam valorizados e cuidados pela empresa.

Além de reduzir o turnover, há a manutenção do ambiente de trabalho em que os funcionários se sentem apoiados em suas necessidades financeiras, promovendo uma cultura organizacional positiva.

Como oferecer empréstimos consignados aos colaboradores?

Como você deve ter percebido ao longo da leitura, oferecer o acesso a empréstimos consignados aos colaboradores pode ser uma prática vantajosa para ambas as partes. Entrentanto, se não for um processo feito com a ajuda de plataformas adequadas, pode trazer uma série de dores de cabeça para os profissionais de RH.

A falta de padronização das documentações de cada banco, a dificuldade de controle sobre o processo e os cálculos manuais podem acabar inviabilizando o gerenciamento.

Por isso, recomendamos fortemente que você conte com ferramentas pensadas para facilitar o seu trabalho. O eConsig automatiza todo o processo de gestão de consignados, facilitando a conexão entre colaboradores, empresas e instituições financeiras. Tudo isso de forma gratuita!

Veja todos os benefícios do eConsig!

Conclusão

A relação entre a margem consignável, o crédito consignado e a redução do turnover é um aspecto importante para as empresas que estão considerando oferecer esse benefício corporativo, pois pode criar um ambiente de trabalho mais estável e produtivo para os colaboradores.

Por isso, ao oferecer o crédito consignado como benefício corporativo, as empresas demonstram um compromisso com o bem-estar financeiro de seus funcionários. Isso reduz o estresse financeiro e melhora a qualidade de vida dos colaboradores, contribuindo para a redução do turnover.

Agora que você entende como a margem e o crédito consignável podem beneficiar sua organização, é hora de considerar a implementação dessas boas práticas de gestão. 

Saiba mais como ajudar sua empresa a gerenciar a margem consignável e oferecer o crédito consignado como um benefício corporativo, solicitando uma demonstração gratuita do eConsig!

Continue aprendendo com os conteúdos:

Perguntas frequentes

Veja as principais respostas para as questões sobre a margem consignável.

O que é ter margem consignável?

A margem consignável, regulada pela Lei nº 10.820/2003, define qual a porcentagem do seu salário que pode ser comprometida para o pagamento de um empréstimo consignado. Ou seja, a margem é o limite para ter descontos no benefício ou contracheque/salário.

Qual o limite da margem consignável?

A margem varia para cada valor de salário. Mas, atualmente, está fixada em até 45% (atualizada pelo Congresso em 2023), com 5% a mais para um chamado “cartão de benefício”.

Qual o valor da margem do consignado hoje?

O Congresso aumentou, em 2023, a margem fixada em até 45%, com 5% a mais para um chamado “cartão de benefício”. Antes, esse percentual era 35%.

eConsig - Descomplique a oferta de consignado da sua empresa